DOENÇAS RESPIRATÓRIAS ASSOCIADAS À OBESIDADE

pulmõesÉ frequente encontrar prejuízos da função pulmonar em pessoas obesas. Além disso, a obesidade pode levar ao desenvolvimento de roncopatia e síndrome da apnéia obstrutiva do sono, que por sua vez, pode causar hipertensão arterial e arritmias cardíacas, aumentando as hipóteses da pessoa obesa desenvolver doença cardiovascular e morte prematura.

O Dr. Marcio Mancini, Doutor em Endocrinologia e Metabologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, ilustra possíveis relações entre a obesidade e seus efeitos sobre as funções respiratórias. Sobre isso, explica que a redução da complacência da parede e da força dos músculos respiratórios causada pela obesidade, leva a um desequilíbrio entre o requerimento dos músculos e a capacidade de gerar tensão muscular, com consequente perceção do esforço respiratório aumentado (dispneia). Isto leva ao aumento do trabalho respiratório e da fadiga – gerando, portanto, um círculo vicioso de perpetuação da obesidade. A dispnéia na pessoa obesa pode, segundo o especialista, mascarar doenças cardíacas ou pulmonares ocultas.

Síndrome da Apneia, Asma e Obesidade

Algumas doenças pulmonares associadas à obesidade, são entre elas, a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), ilustrando o diagnóstico (sonolência diurna excessiva, dificuldade de concentração), com possíveis consequências e complicações da doença em hipertensão, doença coronariana, insuficiência cardíaca, acidentes, etc.

A Síndrome da Hipoventilação da Obesidade também é muito comum em pacientes com SAOS. Outra doença associada à obesidade é a Asma. Alguns fatores de ligação entre elas é a disfunção pulmonar relacionada à obesidade, o sedentarismo e fatores dietéticos, e o refluxo gastroesofágico, além de alguns fatores que associam a genética da obesidade à da asma.

slenderiix

slenderiix

Influenza A e Obesidade

O Dr. Marcio Mancini abordou possíveis relações entre a Influenza A (H1N1) e a obesidade. Em pacientes que se submeteram à cirurgia bariátrica, algumas citocinas (que estimulam os linfócitos NK) aumentam. Como consequência, os obesos têm menor capacidade de destruir bactérias, vírus e células estranhas. O Dr. Mancini conclui que aparentemente a Influenza A é mais comum em pacientes obesos do que não obesos.

Slenderiix a solução natural

Como solução para combater esta epidemia, sugerimos-lhe que Clique aqui e conheça o nosso programa de perda de peso natural: Slenderiix.

Se quiser conhecer testemunhos em perda de peso com slenderiix: Clique aqui!

2016-12-29T06:13:50+00:00 October 18th, 2013|